Comunidade escolar discute direitos da criança e do adolescente

05/11/2011 00:02

Comunidade escolar discute direitos da criança e do adolescente

Quinta, 18 de junho de 2009 • 21:24
 
Valorizar a participação da família e esclarecer dúvidas sobre os direitos da criança e do adolescente. São esses os objetivos da série de palestras iniciada pela Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) em parceria com o Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente de Teresina.

As primeiras escolas municipais a receberem as palestras foram Lindamir Lima, zona Leste, Mariano Alves de Carvalho, zona Norte, e Ana Bugija, zona Sul. Os encontros fazem parte do projeto Escola e Família: Conversando a Gente se Entende, desenvolvido pela SEMEC desde 2008 em 32 escolas da rede municipal de ensino com Índice de Desenvolvimento da Educação (IDEB) menor ou igual a quatro na avaliação realizada em 2007.

Para Marlene Nascimento, assistente social da Gerência de Assistência ao Educando da SEMEC e coordenadora do projeto Escola e Família: Conversando a Gente se Entende, a família é fundamental para o bom desempenho do aluno. Por isso o acompanhamento mais direto das famílias deve começar nas escolas que obtiveram baixo rendimento no IDEB.

Rubem Bispo de Sousa, pai de aluna do 5ºano da Escola Municipal Mariano Alves de Carvalho, afirma que as reuniões com pais devem abordar, além das questões de rotina escolar, temáticas interessantes: “As reuniões com pais são periódicas de nos orientam sobre o desempenho escolar de nossos filhos. Acho ótimo que a escola tenha proporcionado esse contato com o Conselho Tutelar, porque temos muitas dúvidas que foram solucionadas. Só podemos orientar nossos filhos a respeito daquilo que conhecemos e precisamos nos informar para não repassar informações incorretas. A palestra foi leve, fácil de entender e nos deu a oportunidade de sugerir ações para melhorar o diálogo entre famílias, escola e alunos”, comentou.

De acordo com Raimundo Júnior, coordenador do Conselho Tutelar I, os familiares precisam de um diálogo mais próximo com as instituições públicas, e a escola é um excelente espaço para esse diálogo, vez que congrega muitas famílias de uma só vez e que é parceira dessas famílias na educação dos filhos.

“As reuniões são de fundamental importância para a garantia e fortalecimento dos vínculos entre escola, família e poder público. Quando a família vem à escola e tem a oportunidade de dialogar com todos os atores envolvidos no processo educacional, essa conversa reflete no desenvolvimento acadêmico dos alunos, que se sentem seguros com a presença dos pais e aprendem a reconhecer e a respeitar os limites definidos em casa. Esse é o nosso papel: garantir os direitos da criança e do adolescente, mas também contribuir para a formação de cidadãos, o que pressupõe também o reconhecimento e o respeito aos deveres de todo cidadão”, declarou Raimundo Júnior.
 
Fonte: http://www.portalaz.com.br/noticia/geral/138121