Coordenador Pedagógico: Traçando caminhos na escola

19/08/2011 10:54

COORDENADOR PEDAGÓGICO: TRAÇANDO CAMINHOS NA ESCOLA

    Traçar caminhos na escola é o papel fundamental do Coordenador Pedagógico, que, ao atuar de forma integradora, dará rumos às ações pedagógicas. Cabe ao Coordenador Pedagógico atuar no sentido de transformar a escola em unidade de formação em serviço dos professores.

Perfil do Coordenador Pedagógico
    O coordenador Pedagógico deverá organizar as atividades pedagógicas a serem desenvolvidas na Escola, acompanhando o desenvolvimento da Proposta Pedagógica e criando espaços para reflexão sobre a prática e a participação dos membros da comunidade.

    Ser pessoa criativa, estudiosa, organizada, leitora e ouvinte, aberta aos conhecimentos, às inovações são os requisitos importantes para a performance do Coordenador, que também deverá estar atento aos aspectos das relações interpessoais inerentes à convivência humana no cotidiano do universo escolar.
    A descrição sumária das ações que serão desempenhadas pelo Coordenador Pedagógico foi apresentada no Edital do Concurso2 para essa função: “executar, no âmbito do sistema de ensino ou na escola as funções de planejamento, organização, acompanhamento e avaliação das atividades pedagógicas, com como participar da elaboração da proposta pedagógica da escola”. (SEAD, 2005).

    Os caminhos da escola, aqui pontuados como responsabilidades e compromissos estão cada vez mais diversos e múltiplos. Dessa forma, planejar a ação pedagógica, sua função primordial requer o Coordenador Pedagógico transite plenamente no seu espaço de trabalho e extramuros, atuando como articulador, formador e transformador das práticas escolares.

O Coordenador Pedagógico como articulador
    A ação educativa precisa ser planejada, articulada com todos os participantes da Unidade Escolar, sendo o Coordenador Pedagógico um dos elementos de ligação fundamental, através de formas interativas de trabalho, em momentos de estudos, proposições, reflexões e ações.

O Coordenador Pedagógico como formador
    A responsabilidade formadora do Coordenador Pedagógico está pautada na formação continuada dos profissionais da Escola, devendo ainda estar aberta ao saber adquirido no dia-a-dia, que deve ser refletido e incorporado ao desenvolvimento pedagógico dos educadores.
Segundo Gentili (2000), o processo de formação de profissionais, que lidam com a Educação, “deverá abordar valores sociais a serem desenvolvidos, tais como: autonomia, liberdade, respeito e solidariedade”, uma vez que esses são importantes de serem vivenciados, ampliados e reconstruídos na escola.

Pode-se definir cada um como:

  • Autonomia: a relação voluntária de respeito às normas, leis e regras, em função do reconhecimento de sua validade universal e não em decorrência da imposição ou controle externo (Piaget, 1974);
  • Liberdade: uma disposição de espírito dos indivíduos, independentemente das condições particulares de cada um (CANIVEZ, 1991);
  • Igualdade: a disposição de submeter os interesses particulares a objetivos universais, reconhecendo aos outros os direitos que se acorda a si mesmo (CANIVEZ, 1991);
  • Respeito: a capacidade de valorizar a liberdade e a dignidade do ser humano que pensa e sente, tanto para o outro quanto para si mesmo (CANIVEZ, 1991);
  • Respeito às diferenças e às identidades: considerar o outro e a si próprio como um ser distinto, possuidor de uma identidade própria, irredutível e legítima, podendo, portanto, exprimir-se livremente (GUARESCHI, 1998);
  • Solidariedade: como a disposição de levar em conta as aspirações de todos os outros e de estabelecer com eles relações de troca a partir do reconhecimento do outro em sua essência (CANIVEZ, 1991).

    O papel do Coordenador deve ser definido como um facilitador que, na escola, considerada espaço de construção de cultura e de relações humanas, estará envolvendo em sua prática, não só os valores citados acima, bem como atitudes e conceitos de justiça, compromisso, democracia e gestão de conflitos.
    A formação dos docentes e de outros profissionais da Escola pode ser realizada nos momentos das Atividades Complementares (AC). Essas se constituem num espaço instituído na escola e garantido no regime de trabalho dos servidores municipais que exercem atividades de docência, que objetiva o planejamento e o replanejamento das atividades pedagógicas, assim como a reflexão sobre ação desenvolvida.

O Coordenador Pedagógico como transformador
    O Coordenador Pedagógico deve estar atento à transformação de atitudes da comunidade escolar, promovendo a reflexão e a vivência nas relações escolares. Como agente de transformação da prática pedagógica, o Coordenador Pedagógico precisa estar aberto a transformar-se continuamente, a partir das considerações reflexivas e do feedback dos demais atores da Unidade Escolar.

O Papel do Coordenador Pedagógico na Rede Municipal de Ensino
Atribuições
São atribuições do Coordenador Pedagógico nas unidades escolares:

  • Coordenar, juntamente com a direção, a elaboração e responsabilizar-se pela divulgação e execução da Proposta Pedagógica da escola, articulando essa elaboração de forma participativa e cooperativa;
  • Organizar e apoiar principalmente as ações pedagógicas, propiciando sua efetividade;
  • Estabelecer uma parceria com a direção da escola, que favoreça a criação de vínculos de respeito e de trocas no trabalho educativo;
  • Acompanhar e avaliar o processo de ensino e de aprendizagem e contribuir positivamente para a busca de soluções para os problemas de aprendizagens identificados;
  • Coordenar o planejamento e a execução das ações pedagógicas na escola;
  • Atuar de maneira integrada e integradora junto à direção e à equipe pedagógica da escola para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem;
  • Coordenar e acompanhar os horários de Atividade Complementar (AC), promovendo oportunidades de discussão e proposição de inovações
  • pedagógicas, assim como a produção de materiais didático-pedagógicos na escola, na perspectiva de uma efetiva formação continuada;
  • Avaliar as práticas planejadas, discutindo com os envolvidos e sugerindo inovações;
  • Acompanhar o desempenho acadêmico dos alunos, através de registros por bimestre, orientando os docentes para a criação de propostas diferenciadas e direcionadas aos que tiveram desempenho insuficiente;
  • Estabelecer metas a serem atingidas em função das demandas explicitadas no trabalho dos professores;
  • Promover um clima escolar favorável à aprendizagem e ao ensino, a partir do entrosamento entre os membros da comunidade escolar e da qualidade das relações interpessoais.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS
    A prática pedagógica requer que se pense de forma dialética e que se faça educação para toda a sociedade, ainda que, através de diferentes meios e em diferentes espaços sociais. À medida que esta sociedade se torna tão complexa, há que se expandir a intencionalidade educativa para diversos outros contextos, abrangendo diferentes tipos de formação necessária ao exercício pleno da cidadania.
    Espera-se, pois, que o Coordenador Pedagógico conheça plenamente o seu espaço de trabalho, compartilhe idéias e conhecimentos, construa o seu papel na escola, tornando-se assim, a ligação fundamental, traçando o seu caminho transformador, formador e articulador. Certamente que a inexistência de respostas prontas, acabadas e definitivas fazem com que o trabalho pedagógico do coordenador seja uma reelaboração do caminho e a apresentação de algumas das pistas possíveis para a continuação desse “caminhar”. Esse documento abre discussões sobre o fazer pedagógico do Coordenador Pedagógico do Sistema Municipal de Educação de Salvador, não tendo, pois, um papel normativo. Após discussões em momentos de formação, novas contribuições serão agregadas e referendadas nessa proposta, a partir da prática educativa.

 

REFERÊNCIAS
SALVADOR.Coordenador Pedagógico:Traçando Caminhos para a sua prática educativa.Documento original.SMEC/ASTEC, 2005.
SALVADOR. Diretrizes Curriculares da Educação Infantil e Ensino Fundamental.Versão Preliminar, 2007.
SALVADOR. Portal SMEC: www.smec.salvador.ba.gov

 

Texto extraído do Caderno:

"Coordenador Pedagógico: Traçando caminhos para sua prática educativa" da Prefeitura Municipal de Salvador/BA, junho / 2008

Link disponível em : http://www.smec.salvador.ba.gov.br/site/documentos/espaco-virtual/espaco-cenap/publicacoes/coordenador%20pedagogico%20-%20tra%C3%A7ando%20caminhos%20para%20sua%20pratica.pdf